Isolamento Térmico: uma solução econômica!

Um fator importante para garantir maior conforto térmico nas edificações, é manter a temperatura interna o mais constante possível, sendo a ideal variável entre 22º a 26º C. Contudo, dificilmente é possível manter esta faixa térmica constante de forma natural. Ao contrário do que normalmente se acredita, as trocas de calor não ocorrem somente através das aberturas, portas e janelas, mas também por meio das superfícies verticais -paredes- e horizontais –coberturas. Sendo assim, a fim de diminuir a transmissão térmica entre o ambiente interno e externo, é importante investir no isolamento dessas superfícies. Apesar dessa estratégia não ser culturalmente adotada nas construções brasileiras, ela é muito mais simples e econômica do que se possa imaginar.

Nas paredes externas geralmente trabalha-se com alvenaria dupla de tijolos. No entanto, essa mesma parede dupla, quando executada com um espaçamento interno de, no mínimo 8cm, garante melhor isolamento térmico através do próprio ar. Essa alternativa não requer investimento extra, apenas ocupa mais espaço devido ao aumento da espessura. Para potencializar o efeito isolante, é possível ainda preencher esse espaço com algum material isolante, como as lãs (de rocha, de vidro, de pet), casca de arroz, feno, serragem, etc.

Nas superfícies horizontais, o mercado oferece diversas possibilidades. A composição entre manta subcobertura- para reduzir a radiação térmica- e algum tipo de lã -para reduzir a troca térmica- apresenta grande eficiência nos casos de utilização de telhas como método construtivo. Quando a cobertura é feita com Laje, as opções variam entre utilização de vegetação ou acabamentos de cores claras a fim de refletir a radiação solar.

Neste telhado, a opção foi utilizar Lã de Vidro embaixo da Lona e sobre o forro

Lona pode ser substituída por uma manta subcobertura, que aumenta a eficiência do isolamento