arquitetura sustentável

Isolamento Térmico: uma solução econômica!

Um fator importante para garantir maior conforto térmico nas edificações, é manter a temperatura interna o mais constante possível, sendo a ideal variável entre 22º a 26º C. Contudo, dificilmente é possível manter esta faixa térmica constante de forma natural. Ao contrário do que normalmente se acredita, as trocas de calor não ocorrem somente através das aberturas, portas e janelas, mas também por meio das superfícies verticais -paredes- e horizontais –coberturas. Sendo assim, a fim de diminuir a transmissão térmica entre o ambiente interno e externo, é importante investir no isolamento dessas superfícies. Apesar dessa estratégia não ser culturalmente adotada nas construções brasileiras, ela é muito mais simples e econômica do que se possa imaginar.

Nas paredes externas geralmente trabalha-se com alvenaria dupla de tijolos. No entanto, essa mesma parede dupla, quando executada com um espaçamento interno de, no mínimo 8cm, garante melhor isolamento térmico através do próprio ar. Essa alternativa não requer investimento extra, apenas ocupa mais espaço devido ao aumento da espessura. Para potencializar o efeito isolante, é possível ainda preencher esse espaço com algum material isolante, como as lãs (de rocha, de vidro, de pet), casca de arroz, feno, serragem, etc.

Nas superfícies horizontais, o mercado oferece diversas possibilidades. A composição entre manta subcobertura- para reduzir a radiação térmica- e algum tipo de lã -para reduzir a troca térmica- apresenta grande eficiência nos casos de utilização de telhas como método construtivo. Quando a cobertura é feita com Laje, as opções variam entre utilização de vegetação ou acabamentos de cores claras a fim de refletir a radiação solar.

Neste telhado, a opção foi utilizar Lã de Vidro embaixo da Lona e sobre o forro

Lona pode ser substituída por uma manta subcobertura, que aumenta a eficiência do isolamento

 

 

 

Veja como a SUSTENTABILIDADE pode contribuir para as estratégias de crescimento de sua Construtora/Incorporadora

Entenda como a sustentabilidade aplicada ao mercado imobiliário pode ser uma estratégia de crescimento da sua empresa, aumentando as margens de lucro e atingindo novos clientes.

 

Projetos Comerciais de cuboverde – arquitetura sustentável

eGnericamente falando, existem três estratégias de competição no mundo dos negócios: a diferenciação, a liderança em custos e o foco (Porter-1989). No mercado imobiliário, as mesmas três estratégias genéricas de Porter podem ser entendidas como:

ESTRATÉGIA DE LIDERANÇA EM CUSTOS:

Essa estratégia consiste em buscar o conjunto de ações voltadas para baixar custo. Assim, a relação com os concorrentes se torna um tema central, exigindo que o produto imobiliário oferecido tenha o menor custo possível perante os demais. Para alcançar este objetivo, a empresa deve buscar o desenvolvimento de uma engenharia de processos e uma eficiência operacional que permita a otimização da cadeia produtiva e a economia de meios, permitindo praticar preços baixos sem sacrificar as margens de lucro.

ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO:

A segunda estratégia é a diferenciação. Esta estratégia visa se destacar no mercado imobiliário em busca de uma diferenciação perante os concorrentes, com produtos de alto valor agregado que gerem vantagens percebidas pelos clientes. Algumas maneiras obter valor agregado e diferenciação são:

  • Projetos arquitetônicos diferenciados*;
  • Tecnologia produtiva e embarcada nos empreendimentos;
  • Tradição e marca da empresa e sua capacidade de marketing;
  • Incentivo a inovação;

ESTRATÉGIA DO FOCO:

A terceira estratégia é enfocar em um determinado grupo ou segmento do mercado, ou até em uma localização geográfica. Esta estratégia baseia-se no pressuposto de que a empresa é capaz de atender melhor ao seu cliente segmentado do que os concorrentes que estão competindo de forma mais ampla. Aqui, “atender melhor ao cliente” deve ser entendido tanto como uma liderança em custos quanto em uma diferenciação, onde os extremos seriam produtos seriados de grande escala, ou produtos extremamente customizados.

 

Atualizando os pensamentos de Porter, os autores W. Chan Kim e Reneé Mauborgne desenvolveram a estratégia do Oceano Azul:

A estratégia do Oceano Azul é baseada na premissa de que a empresa está atuando em um mercado sem concorrentes, portanto dita tendências e preços. Em oposição, há o Oceano Vermelho, onde o mercado é finito e as empresas concorrentes disputam este mercado acirradamente, comprometendo suas margens de lucro. No mercado imobiliário há poucos exemplos de Oceanos Azuis, sendo possível identificar apenas segmentos do mercado onde algumas empresas ofereçam um produto sem concorrentes. Como exemplo atual, pode-se citar os micro apartamentos muito bem localizados na cidade de São Paulo, que conseguem atender a uma demanda de pessoas que não necessitam de muito espaço físico, mas que querem morar em uma boa localização. As primeiras ofertas deste tipo de apartamentos não encontraram concorrentes e puderam dominar o mercado. Posteriormente, outras empresas buscarão este nicho e o “oceano” começará a se tornar “vermelho”.

E o que a Sustentabilidade tem a ver com isso?

Hoje, a sustentabilidade tem sido uma demanda na maioria das cadeias produtivas e dos produtos. No mercado imobiliário não é diferente. Todos os clientes hoje se preocupam com o consumo do ar condicionado, com a iluminação natural, com a qualidade ambiental, com o consumo de água, com a saúde dos espaços… enfim, com os aspectos de sustentabilidade aplicados nos seus imóveis. Mas inserir a sustentabilidade em seus empreendimentos não é suficiente. Como comparar o grau de sustentabilidade de um edifício que tem placas fotovoltaicas com um que tem uma cisterna? Como comparar um telhado verde com um bicicletário?

Para mensurar a qualidade e a sustentabilidade dos edifícios e também para dar credibilidade às ações adotadas, existem os chamados “selos verdes”. Estes selos são basicamente uma metodologia que pontua o desempenho das edificações em relação a sustentabilidade, criando uma métrica que permite comparar uma edificação com a outra. Os selos mais conhecidos e difundidos no Brasil são o Aqua-HQE, o LEED e o GBC Brasil Condomínio. No Rio Grande do Sul existem ainda poucos empreendimentos certificados, sendo que alguns que estão no meio do processo correm em sigilo. A lista completa pode ser encontrada aqui:

Novamente se faz a pergunta: mas e o que a sustentabilidade tem a ver com as estratégias de crescimento da minha empresa? Bem, em todas as estratégias citadas acima, a sustentabilidade aplicada à construção civil pode contribuir, chegando até a possibilitar a estratégia de “reinar sozinho no Oceano Azul”. Um projeto arquitetônico bem feito, concebido desde o início com as premissas da racionalidade e sustentabilidade pode contribuir muito com a otimização dos custos.

Porém, é na estratégia da diferenciação que a construção sustentável pode contribuir mais: nos três links acima, é possível perceber que os empreendimentos sustentáveis no Rio Grande do Sul ainda são muito poucos, sendo a maioria deles relacionados a grandes empresas (SAP, Arena do Grêmio, Estádio Beira Rio, Nike Factory Store, Leroy Merlin, etc.) ou a empreendimentos pontuais. Não há ainda nenhuma incorporadora certificando seus empreendimentos sistematicamente, tornando isso uma política empresarial. Em relação ao mercado imobiliário como um todo, o volume de empreendimentos certificados (ou em processo) no RS ainda é muito tímido.

Acreditamos, portanto, que a adoção das construções sustentáveis como política de uma incorporadora, agregando de fato o valor da sustentabilidade à visão da empresa, tendo como missão a certificação de seus empreendimentos pode fazer com que a sua empresa esteja por um bom tempo no Oceano Azul. Nós do CUBOVERDE temos a expertise de desenvolver projetos que podem contribuir para esta missão, e em conjunto com uma equipe multidisciplinar de projeto podemos lhe ajudar a certificar seus empreendimentos em qualquer um dos selos pretendidos. Navegue em nosso site (www.cuboverde.com.br) e conheça o nosso portfólio.

Equipe da Casa Estúdio é premida no 5º Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável

No último dia 15 de março, a equipe da Casa Estúdio esteve presente no 5º Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável. Concorrendo na Categoria Profissional – Edificação Residencial, a arquiteta Ingrid Dahm foi chamada ao palco para receber o prêmio.

 

Segundo o site especializado em arquitetura Archdaily, “a premiação é uma das mais importantes do mercado de construção civil brasileiro e já reconheceu mais de 150 projetos por excelência em conforto, inovação e sustentabilidade. Foram entregues 25 prêmios, entre as categorias “Profissional” e “Estudante”, além dos destaques em “Conforto”, “Inovação” e “Sustentabilidade”. O Prêmio já é referência no mercado brasileiro de arquitetura, tendo destacado centenas de projetos de estudantes e profissionais, que, em linha com os valores da Saint-Gobain, promovem a sustentabilidade e o respeito ao meio ambiente”, disse Thierry Fournier, CEO da Saint-Gobain para Brasil, Chile e Argentina. “Com a premiação, incentivamos o mercado a priorizar, cada vez mais, os conceitos de conforto e o bem-estar das pessoas nas edificações”, finalizou o executivo.

Casa Estúdio é vencedora do 5º Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável

É com muita satisfação que a equipe do cuboverde recebeu a notícia de ser um dos vencedores do 5º Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável. Concorrendo com a Casa Estúdio na Categoria Profissional – Edificação Residencial, a equipe responsável pelo projeto participará da premiação nos dias 15 e 16 de março em São Paulo. Dentre os premiados estão alguns dos maiores escritórios de arquitetura do Brasil, como ‘Héctor Vigliecca e Associados’, ‘Rosenbaum Projetos’, ‘Triptyque Architecture’ e ‘Studio Arthur de Mattos Casas Arquitetura e Design’.

A diagramação das pranchas do concurso apresentou um resumo conceitual do projeto, focando nos diversos aspectos de arquitetura sustentável.

 

Não seção “Projetos” do nosso site pode-se encontrar mais conteúdo e mais fotos sobre o projeto. Confira aqui:http://cuboverde.com.br/projetos/casa-estudio/

 

Sobre o Prêmio

O 5° Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura ‒ Habitat Sustentável é uma iniciativa do Grupo Saint-Gobain e tem a finalidade de reconhecer e premiar projetos de arquitetura que se destacaram em soluções para o conforto do ambiente, além de mobilizar profissionais e estudantes que acreditam que a construção civil exerce significativa contribuição para a sustentabilidade do setor e bem-estar dos usuários. O prêmio ainda incentiva o uso de tecnologias e soluções inovadoras, e a correta especificação de produtos e processos construtivos.

 

Participações Anteriores

Esta é a segunda participação do cuboverde no Prêmio Saint-Gobain. Na 4ª edição, em 2017, o projeto do Partec Green foi finalista na categoria Comercial (http://cuboverde.com.br/projetos/partec/). Já em 2018,  na categoria de edifícios construídos, a Casa Estúdio foi uma das vencedoras.

Por ser um prêmio de abrangência nacional, que valoriza as iniciativas relacionadas a sustentabilidade na construção civil, ser um dos vencedores desta edição enche o escritório de orgulho, motivando a equipe ainda mais para buscar as melhores iniciativas técnicas disponíveis e lutando por uma arquitetura mais responsável e sustentável.